Alerta: “Momo do WhatsApp”

Um novo esquema de engenharia social chamado “Momo do WhatsApp” está se espalhando pela internet.

Um contato do WhatsApp chamado “Momo do WhatsApp” foi divulgado em sites de mídia social, tem código de área do Japão e uma foto exibindo uma garota de olhos arregalados.

Alegações de que interagir com o perfil podem incitar o suicídio de jovens através da coação tem circulado pela Internet.

O que sabemos sobre o Momo?

O perfil do WhatsApp apareceu pela primeira vez em um grupo do Facebook e, desde então, pessoas de todo o mundo tentam entrar em contato com ele.

A imagem utilizada por “Momo” é de uma escultura exposta em um museu do Japão, em 2016. E, no México, os boatos envolvendo o perfil tomaram tamanha proporção que a Unidade de Investigação em Crimes Informáticos lançou um alerta para que as pessoas não temam o novo viral.

Enquanto Momo tem elementos da teoria da conspiração, o esquema é na verdade um excelente exemplo de um ataque de engenharia social projetado para fomentar o medo.

Os especialistas do dfndr lab – laboratório de segurança digital – adicionaram o suposto número de Momo no WhatsApp e não receberam resposta. Conforme apurado, diversos perfis têm surgido mundo afora usado esta mesma foto, sendo assim, não é possível afirmar com certeza que o criador do contato original tem feito as ameaças, ou até mesmo que elas têm existido. “A partir do momento em que este contato viralizou, várias pessoas estão se aproveitando da febre e criando novos para assustar os outros, aumentando ainda mais o medo da população.”, alerta o Diretor do dfndr lab, Emílio Simoni.

Como se proteger de perfis maliciosos?

As vítimas mais vulneráveis ​​a esses tipos de ataques de engenharia social são os jovens. Mesmo que o Blue Whale Challenge e o Momo do WhatsApp possam ser interpretados como mitos urbanos, exemplos de cyberbullying e assédio online são muito reais.

1. Evite trocar informações com números ou pessoas que você não conhece

2. Preste atenção às redes sociais. Esteja ciente do que seus filhos estão compartilhando em suas contas, especialmente seu número de telefone.

Lembre-se de que um número pode ser acessado e usado por pessoas mal-intencionadas.

3. Sempre use um bom antivírus. Certifique-se de que todos na família tenham proteção antivírus em seus telefones.

Alguns antivírus emitem um alerta quando a pessoa recebe um link mal-intencionado no WhatsApp, no SMS e no Facebook Messenger.

fonte: www.psafe.com/en/blog/momo-whatsapp-scam-new-blue-whale-challenge